Roberto Carlos: A Rebelião Romântica da Jovem Guarda - Livro escrito por Rui Martins

A Rebelião Romântica da Jovem Guarda

A Rebelião Romântica da Jovem Guarda
Escrito por Rui Martins
Publicado pela Editora Fulgor em 1966

Texto interno da capa

Impressionado com a transformação de um cantor em ídolo de considerável parcela da juventude urbana brasileira, o autor, que é jornalista do Estado de São Paulo, quis saber as determinantes desse comportamento. Depois de uma série de entrevistas com sociólogos e psicólogos da Universidade de São Paulo, publicou, na imprensa paulista, o primeiro trabalho que procurava interpretar a reação juvenil e adulta diante do que se começava a chamar «fenômeno Roberto Carlos».

Na reportagem, que recebeu o título de «Juventude vive a rebelião romântica», o autor apresentou as diferentes opiniões colhidas, mantendo uma unidade geral. Omitiu, porém, sua própria interpretação para conservar-se fiel aos depoimentos.

Neste livro, Rui Martins amplia seu primeiro trabalho e, utilizando-se de todo material inicial, enriquecido com novas pesquisas e consultas, expõe, também, sua própria opinião, concluindo pela existência no País de uma rebelião juvenil que não conduz a caminho algum e que, por isso, conta com o apoio dos adultos conservadores.

Os fatores determinantes dessa rebelião romântica estariam Intimamente ligados com a atual situação social e política brasileira, que não favorece a participação efetiva da mocidade no desenvolvimento nacional.

Texto da contra-capa

"Mas, quando em torno se faz o vazio e nada convida para lutas... a mocidade tende a procurar, em seus sonhos, o meio de fugir à mediocridade e pasmaceira reinantes. Volta-se a si mesma, sem objetivo e com espírito conservador senão reacionário, para viver sua vida à parte. Nem os adultos se integram na vida das gerações jovens, nem estas se preocupam com a sua participação na dos adultos e velhos. Daí, a "rebelião romântica da jovem guarda", que tão admiravelmente analisa Rui Martins, em poucos capítulos, com a lucidez e segurança de suas observações de fatos, e de suas reflexões sobre ele".

Fernando de Azevedo

Barbieri comenta:

Comprei este livro num sebo perto da Praça da Sé em São Paulo lá pelo princípio de 1980. Este livro acabou vindo para Londres onde vivo e agora faz parte da minha biblioteca. Para colocá-lo aqui neste site, com um scanner copiei todas as páginas do livro, incluindo a capa e, depois usei um programa OCR (optical caracter recognizer) para checar todas as páginas e assim transformar os "scans" num documento em Microsoft Word. Como o texto do livro foi escrito nos anos 60, com Word fiz a correção do texto. O texto então, foi reeditado onde tomei a liberdade de acrescentar uma biografia do autor e, depois transferido um documento PDF que, poderá ser baixado gratuitamente clicando nos link aqui providos.

Quero deixar claro que não estou tendo nenhum benefício financeiro com a publicação online deste texto. Meu intuito é puramente educacional uma vez que este livro está esgotado. Se o autor ou a editora tiver alguma objeção quanto a publicação online deste material, peço-lhes que comuniquem-se comigo imediatamente para que, com pesar, retire este documento importante do nosso site.

Antonio Celso Barbieri

CLIQUE AQUI OU NA CAPA DO LIVRO PARA BAIXA-LO!

Troca de emails entre Barbieri e
o jornalista e escritor Rui Martins
Data dos emails: 11 de janeiro de 2013

Barbieri  escreveu:

Caro Rui

Feliz 2013!

Anos atras, quando digitalizei seu livro, documentos PDF ainda não eram muito conhecidos e usados. Portanto para fazer a coisa mais simples e prática, juntei seu livro novamente em apenas um documento, acrescentei uma pequena biografia que encontrei aqui na Internet, passei todo o texto outra vez pelo spell checker do Word 2011 que já tem a nova ortografia e salvei o documento em PDF. Agora ficou mais fácil para você (e todo mundo) acessar esta informação preciosa.

Um abraço,

Resposta de Rui Martins:

Obrigado Barbieri, a primeira vez que lhe contatei, era só o seu link, na Internet, que levava ao livro e à entrevista.
 
Mas no ano passado, quando coloquei seu link no meu Facebook, tive a curiosidade de fazer uma busca no Google e vi existirem outros links. Inclusive uma cópia do próprio Google, por sinal a única errada, pois dá como autor Rui Nogueira Martins.
 
Hoje, se você fizer uma busca, verá que existem diversas páginas no Google. Fico feliz por tudo ter começado com você, porque só me restou um livro original, mas agora, com ele no domínio público, posso ter quantas cópias quiser.
 
Vejo pelo email que continua vivendo na Inglaterra, Londres, presumo. Se vier por aqui, na Suíça, me dê um toque. Se um dia eu passar por aí, aviso por email.
 
Pode parecer absurdo, mas desde 1969, quando passei cinco dias em Londres, num hotel perto do metrô Padington, nunca mais ali estive.
 
Desejo-lhe também um Ótimo Ano 2013. Veremos, se 13 dá sorte ou azar.

Grande abraço,

Barbieri  escreveu:

Oi Rui, possivelmente, agora, talvez a minha cópia seja a melhor no momento :-)

Se quizer lhe mando o documento Microsoft Word onde você poderá facilmente revisar o texto e talvez até acrescentar alguma coisa tipo uma auto avaliação do seu próprio trabalho depois de tantos anos...

Confesso que quando vi o documento em PDF até o visualizei como a possibilidade de um relançamento porque a realidade que você abordou no fundo continua.

Hoje mesmo conversei com meu irmão no Brasil, via telefone, e discutimos a questão da democracia no Brasil onde o PT virou um partido tão poderoso e onipotente que não tem como reavaliar-se para corrigir seus próprios defeitos. Por outro lado, para manter o status quo não tem interesse que educar as novas gerações que, agora, acredito estão ainda mais apáticas e irresponsáveis do que naquele tempo… Porisso acho seu livro muito atual…

Rui adoraria um dia poder conhece-lo pessoalmente….

Se você deu uma olhadinha no meu site certamente percebeu que, aparentemente para muita gente sou uma contradição… um roqueiro comunista. :-)

Bom, acho que aos 60 anos os rótulos "roqueiro" e "comunista" já ficaram para trás à muito tempo…

A Suiça está na minha lista de visitas mas quando será é que eu não sei :-)

1969! Você esteve aqui numa época muito interessante, logo no finalzinho dos Beatles, Flower Power, Woodstock, etc...

Um grande abraço

Resposta de Rui Martins:

Obrigado Barbieri, a idéia de uma reedição em papel, quando a onda é e-book é tentadora, mas seria preciso tempo para os ajustes com a atualidade. E o problema é que não somos imortais, o Claude Nobs do Festival de Montreux que o diga.
 
Quando escrevi era um jovem entusiasmado com a descoberta do jornalismo. Foi o Matias Arrudão, do Estadão (mas é pseudônimo) quem me sugeriu transformar a reportagem publicada no Estadão, em uma página, num livro. Pela Fulgor, que era a editora do Partidão.
 
Escrevi em um mês, durante a madrugada, ao voltar do jornal. Escrevia na sala do restaurante da república onde vivia. Naquela época, máquina de escrever fazia um barulho danado e a cada frase longa, ficava com medo de acordar colegas ou os dirigentes da entidade que nos abrigava. Ainda por cima, a luz era de 60 wats e me cansava os olhos.
 
Como eu tinha conhecido o sociólogo Fernando de Azevedo numa entrevista, levei os originais para ele e ele aceitou fazer o prefácio, longo por sinal e que mostrava ter lido atentamente o livro. Ele me fez jurar que escreveria outros livros, jurei mas não cumpri, a vida de jornalista não me deixava tempo livre.
 
Só em 2005, depois de demitido da CBN, escrevi o Dinheiro Sujo da Corrupção sobre Maluf, causa de minha demissão. Tenho outro livro começado, sobre um pastor assassinado no Doi-Codi, mas meu benevolato político pelos emigrantes não me permite. Entrei nessa história de emigrantes para recuperar a nacionalidade nata dos filhos da emigração www.brasileirinhosapatridas.org e não consegui mais sair. www.estadodoemigrante.org
 
Teríamos um grande papo, se nos encontrássemos, vejo tb que você é ainda jovem !
 
Não sou petista mas acho que o Lula mudou a feição do Brasil. A direita brasileira aprendeu com os paraguaios, que deram um golpe legal, e quer fazer o mesmo no Brasil, alegando corrupção, coisa da qual seus seguidores sempre se aproveitaram. Costumo escrever no www.diretodaredacao.com
 
Grande abraço, Rui.

Comments (0)

There are no comments posted here yet

Leave your comments

Posting comment as a guest.
Attachments (0 / 3)
Share Your Location
Type the text presented in the image below

Comentários

Anderson Freitas posted a comment in Monterey Pop Festival (1967): Contado por quem esteve lá!
Saudações! Eu sempre acesso esse site para ler essa história. Fique muito triste agora. O senhor Stan Delk faleceu em 2016.<br />https://www.findagrave.com/memorial/171638689<br /><br />Descanse em Paz!<br /><br />Barbieri Comenta: Ele foi muito gentil comigo, disponibilizou o seu texto e acreditou nas minhas boas intenções! Quanto a matéria ficou pronta ele ficou muito satisfeito! R. I. P.
Neuza Maria posted a comment in Tony Osanah: Um argentino bem brasileiro
Muito interessante essa matéria sobre o Tony Osanah. Sou amiga pessoal dele há mais de 30 anos e hoje relembrei muitas coisas sobre ele, que já havia me esquecido. Grande talento! Ele está em visita no Brasil, esteve em Peruíbe até o dia 24 de janeiro e deverá retornar para a Alemanha no dia 07 de fevereiro. Pena que não programou nenhuma apresentação por aqui.
Daniel Faria posted a comment in JAJI: Homenagem postuma!
Tive o grande prazer de trabalhar com Jaji na decada de 1990. As festas no apartamento dele eram legendárias. Só fiquei sabendo da morte dele em 2017 e fiquei bem triste. Ele faz falta e será sempre honrado pelo público Metal de São Paulo.
Olá Barbieri! Que legal esse artigo, é sempre maravilhoso poder "beber" de fonte sábia. Neste sábado, 13/01/2018, teremos a chance de conferir o ensaio aberto da Volkana no Espaço Som, em São Paulo. A boa notícia é que, a exemplo do Vodu, que voltou à ativa em 2015, as meninas também decidiram se reunir, esperamos ansiosos que depois desse ensaio aberto role outros shows por ai. Um grande abraço!
Já sofremos muito também tentando fazer festivais. Mas resolvemos nos dedicar ao rock nacional de outras formas. Lançamos nosso primeiro disco https://base.mus.br que é para mostrar nosso amor pelo rock brasileiro.
André Luiz Daemon posted a comment in Luiz Lennon (Beatles Cavern Club)
Olá, boa noite! Alguém poderia me dizer o nome da música de abertura do programa Cavern Club que foi ao ar após o falecimento do saudoso e inesquecível Big Boy.<br />Logo após o seu falecimento, outro locutor entrou em seu lugar, e a abertura do programa era com o ex-Beatle Ringo Starr cantando.<br />Se alguém souber, por favor, me mande por e-mail, procuro essa música há muitos anos e signiifca muito para mim.<br />Valeu, abraços aos Beatlemaníacos que nem eu!!
José Carlos posted a comment in Tony Osanah: Um argentino bem brasileiro
Confirma pra mim, eu ouvi falar que o vocal da música Graffitti do Paris Group e de Tony Osanah, e que na realidade a banda nunca existiu. Foi um jingle produzido exclusivamente para a propaganda da calça Lewis e devido ao sucesso na televisão foi forjada uma banda para gravar um compacto e faturar uma grana em cima. É verdade?<br /><br />Oi José Carlos, sinto muito mas não tenho como confirmar esta história, entretanto, sei que nos anos 60 e 70 várias bandas brasilerias gravaram faixas em inglês usando nomes fictícios. Quer dizer, não será surpresa se for verdade!
Em se tratando de ROCK, é sem dúvida A Melhor Banda de ROCK até hoje.Acho o som deles o máximo. Conheci a pouco tempo (2010) e ouço desde então... Muito feras
jeronimo posted a comment in Delpht - Far Beyond (CDR Demo - 1997)
você podia disponibilizar essa demo para download pois ela não se encontra a venda
Parabéns Barbieri!!! ficou perfeito, muito original e harmônico, com o peso certo. Muito gostoso ouvir seu som.
CK posted a comment in Carioca & Devas
Ei! Obrigado por este artigo, ótima história e histórias.<br /><br />Hey! Thank you for this article, great history and stories. <br /><br />Thanks again!<br /><br />CK
Eu tinha 14 para15 anos em 1966 quando estava com outros amigos mais velhos e todos cabeludos na Av.Sao Luiz quando começaram a jogar pedras e saímos correndo pela. 7 de abril descemos a 24 de maio queriam nos matar uma multidão eu entrei no Mappin até chegar a polícia para nós tirar de lá.
De acordo com um set list desse show que achei na minha coleção, as músicas tocadas foram Maria Angélica, Perfume, British, Variações, Dissipações, Súplicas, Boca e Vade Retro.
Muito legal ver isso. Estive em muitos shows aqui relatados. O festival com o Dorsal, Vulcano em Santos, teve uma cena memorável quando o vocalista do Crânio Metálico, da Bahia, entendeu que as pessoas gritavam "côco metálico" para a banda e nao o nome coorreto. Ele se indignou com a falta de respeito e chamou as pessoas as briga. Muitos se solidarizaram com o vocalista da banda e o aplaudiram, repugnando o preconceito. Me lembro ainda que nesse show jogaram confete na apresentação do Vulcano e depois a serragem. Era tempo de ascenção do Death Metal e que muitos ridicularizavam o Black Metal... Cena triste também... Mas foi uma noite ótima. Vulcano mandou bem e Dorsal fez um show primoroso.
Charles Campos posted a comment in Soul of Honor
https://www.youtube.com/watch?v=Sn2ckIF0Gbk
Charles Campos posted a comment in Soul of Honor
Boas recordações de minha adolescência!!!<br />Assisti a uma apresentação do <br />Bodas de Sangue no Espaço Retrô (Senão estiver enganado)<br /><br />Foi uma baita apresentação!!!
CASSIO VIEIRA posted a comment in Carioca & Devas
Pessoal, alguém saberia me dizer se neste 'Ensaio (1977)' é o Tom (acho que o sobrenome dele é De Maia ou algo assim) que está tocando bateria? Ele morava no meu bairro, e o pai dele era dono da escola em que eu estudava, Colégio 7 de Setembro.
"Suspeitei desde o principio..." (Chapolin Colorado)<br /><br />Muito legal o texto, vivo fazendo coisas no automatico e com o maior temor de ter um colapso mental, e tenho tambem aprendido coisas novas sempre, autodidata por natureza. Agora estou mais tranquilo e posso tranquilizar outras pessoas a minha volta, a solucao e a causa do problema sao simples, (talvez eu tenha que me render aos passinhos de dança do ventre de vez em quando...).<br />Parabens pelo texto
Articles View Hits
2765826

We have 164 guests and no members online